A antestreia de dia 9 de Março de As Maltratadas no cinema São Jorge

Março 12, 2010

Uma antestreia que contava com mais de 700 convidados, comemorava-se os 20 anos da Associação Portuguesa do Apoio à Vítima - APAV , apresentando no grande ecrã: “As Maltratadas”.

aclasmaltratadas0192

À chegada ao São Jorge, antes do fotocall, O músico e cantor Paulo Brissos que contibui com a sua música para a banda sonora de As Maltratadas, a actriz  principal Camila Alves, actriz principal Leslie Reis, a realizadora Ana Campina, a actriz Petra Soraia, a actriz principal Alexandra Freudenthal, o cantor e músico Miguel Angelo que contribui com a música “O Som e a Fúria ” da sua autoria para encerrar em grande o filme As Maltratadas, a actriz Paula Rocha,  músico da banda dos Delfins.

aclasmaltratadas0201

Mais uma vez um grupo muito unido, muito talentoso, que tem contribuído para o grande sucesso de As Maltratadas!

Não se esqueçam que a partir de dia 25 de Março é a estreia nacional de As Maltratadas nas salas de cinema Lusomundo para o grande público, apareçam!

  • Share/Save/Bookmark
0

Antestreia de “As Maltratadas” em Portugal !

Março 5, 2010

image002

Depois desta viagem maravilhosa pelos festivais do mundo inteiro, As Maltratadas chega ao objectivo final, servir uma causa social no país onde foi realizada! 

Com antestreia dia 9 de Março, e a seguir a estreia nas salas nacionais de cinema a partir de dia 25 de Março, As Maltratadas é uma curta-metragem que foi feita e apoiada por mais de 200 pessoas, empresase entidades, que generosamente, investiram neste projecto, sem nada pedirem  em troca, ajudaram desde a criação à distribuição  de um filme cujo o objectivo é a denúncia da problemática da violência doméstica e o tráfico de seres humanos,que apela à renúncia da escravidão humana, apela ao acreditar nas instituições, que aponta como ponto de fuga a união das pessoas para as soluções dos problemas sociais.

Convido a todas as pessoas a irem às salas de cinema a partir de dia 25 de Março, e a verem um filme que envolveu para a sua concretização  pessoas de 3 Continentes diferentes. Já deu a volta ao mundo em festivais, e por fim ganhou um primeiro prémio em Holywood!

Como realizadora, sinto que fiz um filme numa linguagem universal, para que todas as pessoas não tenham dúvidas qual o assunto que está a ser tratado, fiz um filme directo para as massas, rápido, curto, mas muito verdadeiro! Tive a coragem de expor num filme uma temática que me assusta e que é apenas um exemplo que infelizmente retrata a vida de amargura de muitas pessoas, é uma realidade que é transversal ao extracto social, a idades e nacionalidades. 

Infelizmente existe este problema e alguém tem que ajudar a criar soluções e nisso a APAV tem feito um trabalho extrodinário! Os meus Parabéns!

Agradeço a  todas as pessoas, empresas e entidades que apoiaram e tornaram este projecto possivel, nomeadamente à Zon Lusomundo.

 

 

Vejam no site da APAV:

“As Maltratadas”

 

No âmbito das comemorações dos 20 anos da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima serão realizadas diversas iniciativas de modo a assinalar este ano especial. Neste seguimento, a APAV e a Zon Lusomundo apresentam o filme “As Maltratadas”. Esta curta-metragem, realizada por Ana Campina, revela pertinência ao focar os temas da violência doméstica e do tráfico de seres humanos.

O filme “As Maltratadas” venceu o prémio de Melhor Curta-Metragem no Hollywood Brazilian Film Festival, realizado em Los Angeles. A curta-metragem participou também na selecção oficial dos festivais internacionais de cinema de Montreal, Irlanda e São Paulo. Realizado e produzido por Ana Campina, “As Maltratadas” conta com um elenco internacional onde se destacam os actores Felipe Camargo, Alexandra Freudenthal e Camila Alves.

Considerando que as mulheres são as vítimas mais vulneráveis, a antestreia do filme terá lugar no dia 9 de Março, na sequência do Dia Internacional da Mulher, pelas 21h30, no Cinema São Jorge. Esta antestreia irá contar com a presença da realizadora e do Elenco, Camila Alves, Alexandra Freudenthal, Leslie Reis, Petra Soraya, Paula Rocha,entre outros, Delfins e Paulo Brissos . O filme estará nos cinemas a 25 de Março. 

Passatempo: Temos 10 convites duplos para oferecer, para os autores das melhores frases sobre os 20 anos da APAV. Para concorrer, deverão enviar a frase, o nome e um contacto telefónico para o emailnunocatarino@apav.p

  • Share/Save/Bookmark
0

“As Maltratadas” ganharam em Holywood!

Fevereiro 9, 2010

As Maltratadas ganharam em Holywood!

A curta metragem As Maltratadas ganhou o primeiro prémio no Festival de cinema Holywood Brazilian Film Festival!

Parabéns a todos !

a-receber-o-premio

Na entrega do prémio.

  • Share/Save/Bookmark
2

O Som e a música …

Janeiro 31, 2010

Vamos conhecer um pouco Filipe Henriques, ou como eu o gosto de chamar José Henriques.

19059_226974013478_543553478_3281536_5309941_n

José Henriques é o Sonoplasta de muitas telenovelas que o público português vê. Mas é ao mesmo tempo também um excelente: realizador, compositor, e músico.

É um grande amigo meu e um grande profissional! O Filipe Henriques como gosta de ser chamado, já encatou com as suas realizações cinematográficas. Gosta de temas sociais e tal como eu gosta de um cinema multicultural.

Como Director de som, ele foi o responsável pelo alinhamento musical e sonoro de As Maltratadas, conduziu e dirigiu todo o processo sonoro desde o ínicio da produção do filme. Compôs uma música que era destinada ao seu filme, o nome da música”Drama Queen”, mas em vez de a colocar no seu filme, teve um gesto de grande generosidade e amizade que me emocionou, ofereceu-ma em exclusivo para colocar no filme “As Maltratadas”, vai pautar um dos momentos mais altos da narrativa, “a cena do quarto verde” como entre a equipa chamamos. Obrigada!

Zé, que Deus te dê a fama que tú tanto mereces!

  • Share/Save/Bookmark
0

O Natal quando chega é para todos!

Dezembro 17, 2009

 

Não envio postais de Natal, nem dou prendas a ninguém em particular, se o fizesse estaria a particularizar o Natal e isso deixa-me triste.

Então, como não tenho capacidade de o fazer a todos os seres humanos que existem na terra, que era o que eu gostaria, aqui fica, de uma maneira modesta e global os meus votos Natalícios.

A todos, eu desejo um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo, a todos mesmo, àqueles que não me conhecem, a quem gosta de mim e a quem não gosta. Trago para todos um coração cheio de Amor e de muita Paz. Que a Luz deste Natal ilumine os vossos caminhos e que a realidade seja sempre bela e perfeita, que as coisas que não gostamos sejam apenas ficção, tenhamos o poder de as desligar quando quisermos… Sintam as novas e lindas mensagens do Universo, deixem que um pouco de silêncio os circunde e sem reflexões, apenas sintam o que o Natal traduz, a renovação, o nascimento do Divino dentro de cada um de nós, a abundância e o saciar de tudo o que faz falta nas nossas vidas, no silêncio encontramos o que precisamos, quando digo silêncio digo escutar-nos, saber o que nos faz falta e depois entregamos esses pedidos ao Espírito do Natal, como quem acredita que alguém cheio de bondade, nos vai ofertar  os nossos maiores sonhos - presente.  

 

Cena 1

Interior – Dia de Natal

Cada um de nós e os que mais amamos, juntam-se todos perto da chaminé, a abrir os presentes.

 As mãos apressadas abrem os presentes.

Cada um recebe aquilo que deseja e merece.

FIM

Feliz Natal!

 AC

  • Share/Save/Bookmark
0

As Maltratadas em Montreal!

Agosto 30, 2009

Ontem à noite foi a estreia mundial de As Maltratadas no festival de cinema de Montreal.

Na sala de cinema numero 9 do Quartier Latin, as 19h10 hora local, já estavam pelo menos 100 pessoas sentadas, algumas chegavam com bilhetes comprados na bilheteira do andar de baixo, eu estava acompanhada da apresentadora , falavamos daquilo que iriamos apresentar. Eu sentei-me numa das cadeiras da sala, a apresentadora falou um pouco e chamou-me para falar sobre As Maltratadas, expliquei em poucas palavras não só o filme como o projecto e o contibuto que queremos dar contra a violencia doméstica e tráfico de mulheres. A sala nesse momento estava cheia, mais de cem pessoas, agradeci a todo o público e a todas as pessoas que possibilitaram este projecto ter florescido, no intimo Deus sabe a quem também agradeci!

Sentei-me como um comum espectador, abstrai-me e olhei para o filme, mas, sem antes achar piada ao facto da minha cozinha estar a ser visionada por mais de cem desconhecidos. Arrepiei-me com a profundidade da performance dos actores e com a música que o José Henriques escolheu para o filme. Lembrei-me novamente das filmagens e da familia coesa e unida que por 9 dias deram o seu melhor para me ajudar a concretizar as imagens que à muito pairavam na minha cabeça e que em conjunto passaram do papel para o cinema. Ouvi o Sergio Araujo a dizer “five minutes”, O director de fotografia, o meu querido amigo Erick, a dizer set, e eu a projectar um pouco de fúria gritava:Action!…Cut…e o nosso produtor Enzo Lamblet…Print?

E ali estava eu, a olhar para o grande ecran…As Maltratadas chegavam ao fim, a canção dos Delfins “O som e a fúria ” imperava sobre um silêncio absoluto.  Os créditos passaram até o ecran ficar todo  a preto, na canção que os acompanhavam, Miguel Angelo disse “Não”, é verdade, violência, não queremos nada disso! O filme chegara ao fim, de repente a audiencia aplaudiu entusiasticamente !

Que audiencia calorosa!

 A organização do festival também foi muito carinhosa ao colocar os poster´s de As Malltratadas em lugares de destaque. Fiquei supreendida! 

2908200914451

As Maltratadas vai ser mais uma vez projectada na próxima segunda-feira, depois até ao próximo festival!

Que vai ser na Irlanda.

  • Share/Save/Bookmark
0

As Maltratadas no Festival des Films du Monde

Agosto 16, 2009

É com muita satisfação que anuncio que As Maltratadas fazem parte da selecção oficial do Festival de Cinema de Montreal, accu_logona secção FOCUS ON WORLD CINEMA, este festival prestigiante, conta com dois filmes portugueses A religiosa portuguesa e As Maltratadas, ambos selecionados para a mesma secção. Nesta secção As Maltratadas fazem parte de um grupo de 70 curtas metragens e 106 longas metragens.

O Festival decorrerá desde 27 de agosto a 7 de Setembro.

POSTER POR.psd

  • Share/Save/Bookmark
0

“As Maltratadas” no IMDB e foi selecionada para os festivais internacionais da Irlanda e África do Sul

Agosto 10, 2009

Meus caros,

A curta metragem “As Maltratadas” já está representada no Imdb, assim como já têem uma página individual todos os técnicos e elenco que nela participaram! AGRADEÇO A TODOS,MAIS UMA VEZ QUE MOSTRARAM QUE É POSSIVEL FAZER BONS PROJECTOS CINEMATOGRÁFICOS  EM PORTUGAL! E como prova disso é que As Maltratadas já foi selecionada para 3 festivais: Irlanda, Montreal e Africa do Sul.

Agora deixo-vos com um texto escrito por um amigo a prepósito da sua participação no filme , que escreveu umas linhas muito simpáticas- Miguel Mariano (Editor,colorista,critico de cinema):

 

“A minha experiência neste filme começou com um convite para me juntar a “um filme de  uma realizadora vinda da América”. Mal sabia eu que este seria o ponto de partida onde tudo o que poderia acontecer na minha vida dentro do audiovisual…aconteceu. Neste filme tive a oportunidade de trabalhar com pessoas de várias culturas (Portugal, Brazil, E.U.A., Catalunha) e de inúmeras  capacidades técnicas (sonoplastia, caracterização, performance, etc).

Só por estes dois pontos (várias culturas e técnicas envolvidas) presentes na produção, foi só por si uma experiência muito enriquecera para a minha pessoa, onde aprendi muito a nível pessoal e técnico. Mas há também a acrescentar os temas (violência doméstica e trafico de mulheres), que sendo cada vez mais pertinentes são também, infelizmente, cada vez mais recorrentes, segundo notícias que nos chegam todos os dias.

O facto de Ana Campina juntar a técnica e teoria cinematográfica como ‘veículos’ para carregar a mensagem para denunciar estes temas que afligem milhões de mulheres em todo o Mundo é de louvar. Isto também implicou, dentro do cargo que ocupei no filme como editor de vídeo, que o meu trabalho de ajudar a Ana Campina moldando a sua visão na forma do filme tivesse uma acrescida responsabilidade.

Responsabilidade essa que abracei sem pensar duas vezes, apesar do desafio: a mensagem deveria passar através das mais variadas componentes audiovisuais (cor, som, sequência de imagens, ritmo das mesmas, etc) sem sacrificar a integridade do filme ao recorrer ao tão visto tipo de filme onde a sua mensagem é ‘esfregada’ na cara dos espectadores que nem um telefilme especial da tarde.

Creio que conseguimos fugir a essa “tentação” através das nuances subtis da cor demonstrando os sentimentos das personagens e o tipo de narrativa que desenvolve no filme; ou por exemplo através do ritmo ‘louco’ na já famosa cena da cozinha que tão habilmente ‘brinca’ com as normas temporais narrativas; ou mesmo ainda na maneira como o filme usa o som habilmente seja através composição acústica que ‘carrega’ e expande a narrativa, mas também pela ausência do som em certas partes do filme, que a meu ver numa bela decisão de realização, ajuda a compor a narrativa.

Por tudo isto, posso dizer que foi um prazer participar nesta “escalada montanha acima” com os seus altos e baixos como todas as produções a têm, onde Ana Campina fez algo ‘hercúleo’ ao juntar uma centena (!) de pessoas numa curta-metragem. Números estes de pessoas envolvidas em produções cinematográficas portuguesas, por norma, só se consegue ver em longas-metragens. Creio que só por isto, já demonstra bem a força do projecto. Agora, todas estas ideias e sensações ficam nas mãos dos espectadores que após o filme terão muito que falar e pensar sobre estes temas, como todo o bom cinema consegue junto das suas audiências.”

Miguel Mariano

  • Share/Save/Bookmark
1

As Maltratadas e The Abused

Junho 26, 2009

Hoje em dia está na moda as pessoas quando querem divulgar ideias, acontecimentos, falarem de si próprias,  escrevem um blog, e eu como pessoa de modas não quis ficar atrás dos outros, mesmo apesar da escrita para mim já ter tido melhores dias, aqui estou eu como “blogger”. Além disso, preciso  falar-vos dos meus filmes, As Maltratadas e The Abused.

Deixem apresentar-me, o meu nome é Ana Campina e sou Realizadora. 

Para o meu último projecto, juntei uma equipa técnica e elenco de três paises diferentes (EUA,Brasil,Portugal) para fazer duas versões do meu filme: “As Maltratadas” e “The Abused”.

 As Maltratadas e  ’The Abused’,  filmadas em duas línguas, portugues e ingles são o meu contributo para que um maior numero  de pessoas não fiquem anestesiadas  perante  a violência doméstica e o tráfico de mulheres. 

Criei um universo em que vários layers se conjugam de modo a criar um ambiente em que por um lado as vitimas vivem numa atmosfera surreal, um pesadelo que está acontecer e que julgam que um dia  vai passar, mas permanecem impotentes, sem conseguirem reagir, sempre com o sentimento de que aquilo não lhes está a acontecer , e por outro os agressores que acham que dominam o mundo, por uma questão de ego e sociopatia violentam as mulheres  sob um ambiente sub-terraneo  que mais parece um circo anárquico. Após apresentação da problemática, o enredo começa a simplificar-se ao demonstrar que uma simples passagem de testemunho de denúncia, a união de várias mulheres e a coragem para renunciar à violencia, pode bastar para resolver um problema como a violência no geral. O ditado quem cala consente é aplicável. E eu não me quis calar, através de clichés que podem parecer ridículos felizmente para muitas pessoas, mas que infelizmente para outros é a realidade cruel quotidiana, fiz com a única linguagem que sei gritar forte contra a violência, para o cinema As Maltratadas e The Abused.

As Maltratadas é uma curta de 15 minutos falada em português, com actores portugueses e brasileiros. E The Abused é outra curta com 25 minutos, com actores americanos, brasileiros e portugueses.

As Maltratadas ficou pronta em Maio de 2009 e The Abused ainda se encontra em fase de pós-produção.

Não sei fazer filmes surrealistas, com universos oníricos, daqueles que cada um imagina o fim! Gostava, mas não sai cá de dentro…Sei fazer filmes realistas, complexos, com personagens frenéticas e bizarras,  reais, esquizofrénicas, mas sempre com finais felizes. E “As Maltratadas” e “The Abused” são disso exemplo. 

Tecnicamente os meus filmes, são muito decopados, toda a acção tem de ser vista de vários ângulos, várias abordagens, vários sons para que o subconsciente do espectador tenha uma certa gula em chegar ao extase final. 

Termino por dizer que As Maltratadas está a ser enviada para festivais de todo o mundo, e há dois dias recebi um email a dizer que já posso colocar no poster e capa do filme, umas folhinhas e no meio a palavra MONTRÉAL WORLD FILM FESTIVAL, pois é  As Maltratadas foi selecionada para o festival de Montreal. E espero sinceramente que seja o primeiro de muitos. Pois como a minha grande actriz Leslie Reis, que embora ainda seja uma linda criança, diz: “O nosso filme é bué da bom!”

Parabéns a todos que me ajudaram a levar este projecto para a frente, basta irem ao site www.asmaltratadas e verem nos créditos quem eles são! Obrigada por acreditarem que a união intercontinental tem muita força. E obrigada meu anjo chamado Douglas Barcellos que enquanto eu for viva, vais estar sempre no meu coração a relembrar que é preciso chegar ao oscar que tu tanto ambicionavas, pelo teu grande desempenho e dedicação, que Deus guarde em paz e abençoe a tua alma irmão espiritual!

Ana Campina

  • Share/Save/Bookmark
7